Vídeo Guerrilha será exibido em Campinas com megaprojeções e presença do maestro João Carlos Martins

A Visualfarm, produtora especializada em conteúdos visuais e projeções, realiza entre os dias 30 de novembro e 2 de dezembro, das 20 às 24h, e pela primeira vez no interior de São Paulo – no Largo do Rosário, em Campinas -, o Vídeo Guerrilha, projeto de intervenção de arte-mídia, que tem como objetivo transformar áreas de uma cidade em uma galeria a céu aberto. Pela primeira vez, a abertura oficial do Video Guerrilha ocorrerá paralelamente à apresentação do maestro João Carlos Martins regendo a Camerata Bachiana, uma homenagem ao compositor Heitor Villa-Lobos, no projeto Na Roda com o Maestro. O evento tem o patrocínio da CPFL Energia.

De acordo com o criador do Vídeo Guerrilha e diretor da Visualfarm, Alexei Anastasiou, o evento vai mostrar atrações interativas que fizeram sucesso nas edições anteriores, realizadas em São Paulo, como é o caso do Agigantador de Pessoas, instalação que projeta, em um prédio ou fachada e ao vivo, imagens gigantes de participantes voluntários, captadas com uma câmera simultânea em um estúdio em plena praça Largo do Rosário.

O Vídeo Guerrilha explora as possibilidades de mudanças no espaço urbano por meio de megaprojeções de imagens, fotos, vídeos, poesias, animações e gravuras. “Desta vez, vamos utilizar sete espaços projetivos, que compõem a paisagem em torno da praça, como suporte para projeções e vídeo mapping, transformando o local e oferecendo ao público presente um cenário visual inédito”, comenta Anastasiou.

As megaprojeções também mostrarão diversas vertentes da arte-mídia, expondo desde trabalhos de vídeo mapping (projeção mapeada), desenvolvidos por artistas, estudantes e criativos da Visualfarm. Os visitantes também poderão interagir com o evento por meio do grafitti virtual – para isso dois monitores vão ensinar as pessoas a desenhar e animar o que quiserem. Durante os três dias de evento, haverá, ainda, uma empena dedicada aos trabalhos feitos pelas crianças da Associação Anhumas Quero-Quero e de filhos de funcionários da CPFL Energia, patrocinadora do evento. Uma projeção vertical exibirá trabalhos de estudantes e artistas brasileiros selecionados na chamada aberta – interessados em participar podem se inscrever gratuitamente no site do projeto www.videoguerrilha.com.br.

Já sob a curadoria do angolano Miguel Petchkovsky, mais de dez artistas serão convidados a apresentar seus trabalhos em outro espaço projetivo. Entre eles Gary Hill, considerado um dos iniciadores do vídeo-arte nos anos 60 e 70 e um dos artistas mais importantes da atualidade. Participam também Sonia Guggisberg, Penda Diakité, Fernanda Agostino, Susana Sá, Ana Barroso & Nuno M. Pereira, César Meneghetti, Selir Straliotto, Mat Rappaport, Paul Catanese e Tommaso Pedone.

Sobre o Vídeo Guerrilha- Criado em 2010, o Vídeo Guerrilha é um projeto de intervenção de arte-mídia com megaprojeções de imagens, que procura estimular o diálogo entre arte, arquitetura e urbanismo, projetando em grandes formatos, obras de diferentes linguagens e autores, transformando áreas centrais das cidades em uma galeria de arte ao ar livre e aberta ao público. O projeto, entre outros objetivos, pretende fomentar o debate sobre a revitalização e ressignificação dos centros urbanos e sua valorização arquitetônica, ocupando ruas e prédios, por meio de diferentes técnicas projetivas. Esta é a sexta edição do Vídeo Guerrilha, projeto que conquistou prêmio concedido pela Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA) na categoria Artes Visuais. Também em 2014 o Vídeo Guerrilha teve sua primeira edição fora do país, em Luanda, capital da Angola. A intervenção envolveu além de artistas convidados de outros países, profissionais de jornalismo, fotografia e cinema de Angola.

O projeto tem o apoio da Prefeitura Municipal de Campinas, Renovarte e Instituto CPFL.

Mais informações: (11) 3816 1230/ 3092 1230

Fonte e imagem: Voice Comunicação