UNESCO no Brasil lança campanha de educação e prevenção sobre vírus zika

UNESCO no Brasil lança campanha de educação e prevenção sobre vírus zika

Disseminar informações relevantes sobre o controle do mosquito Aedes aegypti e sobre a prevenção do vírus zika faz parte da ação que a UNESCO no Brasil inicia junto a seus públicos, parceiros e funcionários.

As mensagens tratarão de temas como os sintomas do zika, as formas de prevenção individuais e coletivas, os cuidados com as gestantes e a eliminação dos criadouros do mosquito transmissor do zika e de outras doenças como dengue, chikungunya e febre amarela urbana.

“Todos – governos, sociedade, empresas, ONGs – precisam estar alertas para a eliminação dos focos do mosquito não somente em suas casas ou escritórios, mas também em seus bairros e suas cidades. É preciso que a limpeza de espaços públicos seja repensada e, mais importante, seja mantida e monitorada. Somente assim, a saúde dos brasileiros não estará mais ameaçada pela picada de um mosquito”, observa Marlova Noleto, diretora da área programática da UNESCO no Brasil.

“Educação + prevenção → menos Zika” é o slogan da campanha criada pela UNESCO no Brasil. Peças como cards informativos e educativos serão postados e compartilhados no Facebook (facebook.com/UNESCOBrasil) e no Twitter (@UNESCOBrasil) da Organização. Acompanhe a conversa usando as hashtags #zikazero e #zikavirus.

Além disso, nesta sexta-feira (11), às 11h30, será divulgada entrevista por meio do aplicativo Periscope, na conta @unescobrasil no Twitter, com a oficial de Projeto na área de Educação em Saúde da UNESCO no Brasil, Mariana Braga. Ela falará sobre como a população pode se engajar no controle da proliferação do zika.

O público interno da Organização também está recebendo informações, por meio de veículos de comunicação interna, sobre sintomas, prevenção e o que fazer no caso de identificar focos do mosquito nas redondezas do escritório e de suas casas.

A UNESCO no Brasil também se juntou a outras agências da ONU por meio de um Grupo de Trabalho denominado Força-Tarefa de Enfrentamento ao Vírus Zika, Dengue e Febre Chikungunya no Brasil, que é liderado pela Organização Pan-Americana da Saúde e Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS).

O Grupo irá elaborar e implementar um plano de ação e comunicação que visa ao controle do mosquito e à consequente diminuição de casos de pessoas infectadas pelas doenças por ele transmitidas.

Além disso, o Grupo pretende estabelecer melhor coerência, integração, harmonização e complementariedade das ações conjuntas das agências da ONU no Brasil, oferecendo uma resposta oportuna e eficaz em apoio às três esferas de governo e à população brasileira durante a situação de emergência.

No Dia Mundial do Rádio, celebrado em 13 de fevereiro, que neste ano teve como tema “O rádio em situações de emergência e desastres”, a UNESCO no Brasil também disseminou informações sobre o combate ao zika e ao mosquito transmissor, por meio de entrevistas e participações nos veículos da NBR e da EBC e de spots de rádio produzidos em parceria com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN). Os spots estão disponíveis aqui e podem ser utilizados livremente.

Sobre o Pacto da Educação Brasileira contra o Zika

No último dia 4 de fevereiro a UNESCO no Brasil, juntamente com 22 estados e 110 municípios, além de instituições e organizações públicas e particulares, assinaram o Pacto da Educação Brasileira contra o Zika.

O Pacto tem o objetivo combater o Aedes aegypti por meio da mobilização dos mais de 60 milhões de atores da educação brasileira, dentre eles estudantes, educadores e funcionários administrativos.

Em resposta ao Pacto, a UNESCO criou a campanha para as redes sociais, divulgou informações para os seus funcionários e se mobilizou junto a outras agências da ONU para a criação de um plano de ação e comunicação de combate ao zika. Saiba mais sobre o Pacto clicando aqui

Fonte: Unesco do Brasil