São Paulo terá 8,7% das escolas em tempo integral

São Paulo terá 8,7% das escolas em tempo integral

Bianca Bibiano

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), anunciou nesta terça-feira a ampliação do número de escolas em tempo integral. Este ano, 75 novas escolas receberão estudantes por um período de sete horas por dia, atendendo um total de 130.000 estudantes. Dessas, 20 estão na capital paulista.

Com a expansão, o total de escolas em tempo integral no Estado chega a 493. O número representa 8,7% das 5.616 escolas gerenciadas pelo governo estadual. “É comprovado que alunos que estudam mais tempo têm melhor desempenho”, disse Alckmin durante o anúncio da medida. O custo da ampliação não foi revelado pelo governador. Estas escolas já estarão funcionando em novo horário neste semestre.

Segundo o secretário da educação, Herman Voorwald, a ampliação custou entre 300.000 e 500.000 reais por escola, considerando apenas os ajustes na estrutura física para atender os alunos por mais tempo. Além disso, os professores que atuarem nessas escolas receberão 75% a mais no salário. Em contraponto, esses docentes só poderão atuar em uma unidade escolar — em geral, eles dão aula em duas ou mais escolas. “Não foi necessário fazer novas contratações”, disse o secretário.

Ainda de acordo com Voorwald, a ampliação do sistema de ensino em tempo integral está sendo feita com ‘cautela’. “A adesão ao integral depende da comunidade escolar e da disponibilidade dos professores. Essa participação é importante para o funcionamento do modelo”. Serão 17 novas escolas para atender alunos do 1º ao 5º ano do ensino fundamental e 58 unidades para atender alunos do 6º ao 9º ano e ensino médio. Ao longo do dia, os estudantes participarão das aulas previstas no currículo obrigatório da rede e também de atividades como teatro, música, iniciação científica e desenvolvimento de projeto de vida. Serão servidas ainda três refeições diárias para os alunos.

Durante o anúncio da expansão, o governador ressaltou a necessidade de reforçar as disciplinas de língua portuguesa e matemática no currículo escolar. “Essas são as bases para as outras matérias e para o acesso ao mundo moderno. Há muita falta de foco (no currículo escolar), e isso é uma das razões da desmotivação dos jovens com a escola”, afirmou.

Alckmin citou uma visita a escolas americanas, que inspiraram o modelo de tempo integral, e exaltou a disciplina e a limpeza das instituições de ensino. No fim de 2014, porém, o governo paulista cortou a verba para pintura e manutenção de início de ano em todas as escolas. Cada unidade deveria receber cerca de 7.000 reais para organizar a unidade para o início do ano letivo, previsto para o dia 2 de fevereiro.

Fonte: Veja