Relatório aponta os grandes desafios para a implementação do Plano Nacional de Educação

Relatório aponta os grandes desafios para a implementação do Plano Nacional de Educação

O Brasil ainda precisa incluir 2,8 milhões de crianças, adolescentes e jovens de quatro a 17 anos no sistema educacional e aprimorar muito a qualidade da educação, considerando fatos como o de que, em 2013, somente 9,3% dos alunos do 3º ano do ensino médio aprenderam o considerado adequado em matemática, e 27,2% em português.

Estes são alguns dos grandes desafios para a educação no Brasil e, particularmente, para a adequada implementação do Plano Nacional de Educação (PNE), segundo o relatório “De olho nas metas 2013-14”, que acaba de ser lançado pelo movimento nacional Todos Pela Educação.

Esta é a sexta edição do relatório, que faz um balanço, a cada dois anos, de como estão as cinco metas estabelecidas desde 2006 pelo Todos Pela Educação (TPE), um movimento da sociedade civil brasileira que tem como missão contribuir para que até 2022, ano do bicentenário da independência do Brasil, o país assegure a todas as crianças e jovens educação básica de qualidade. As metas monitoradas pelo TPE são:

Meta 1 – Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola

Meta 2 – Toda criança plenamente alfabetizada até os 8 anos

Meta 3 – Todo aluno com aprendizado adequado ao seu ano

Meta 4 – Todo jovem de 19 anos com Ensino Médio concluído

Meta 5 – Investimento em Educação ampliado e bem gerido

A mais nova versão do relatório “De olho nas metas 2013-14” confirma que permanecem muitos desafios para que sejam efetivamente alcançados os objetivos nacionais traçados para 2022. Com relação à Meta 1, o documento mostra, por exemplo, que em 2013 estavam devidamente matriculados 93,6% das crianças, adolescentes e jovens de quatro a 17 anos, abaixo da meta intermediária, de 95,4%, o que representa a necessidade de inclusão de 2,8 milhões de cidadãos nessa faixa etária. A meta para 2022 é de inserção de 98% ou mais de crianças e jovens no sistema escolar.

Um dos maiores desafios apontados pelo relatório do Todos Pela Educação, e na prática um desafio para a implementação do Plano Nacional de Educação, está indicado na Meta 3. O documento “De olho nas metas” mostrou que, em 2013, apenas 9,3% dos alunos do 3º ano do ensino médio aprenderam o considerado adequado em matemática, e 27,2% em português.  São números muito abaixo das metas intermediárias do TPE esse ano, que eram de 28,3% e 39%, respectivamente. A meta para 2022, ainda muito distante de ser atingida, é que 70% ou mais dos alunos tenham aprendido o que é adequado para sua série.

Além dos indicadores relacionados às cinco metas monitoradas pelo TPE, o relatório “De olho nas metas 2013-14” reúne cinco artigos sobre estudos inéditos relacionados aos dilemas da educação no Brasil. O relatório também inclui boletins por unidade da federação, revelando como está o panorama educacional em todos os estados brasileiros e Distrito Federal.

O relatório “De olho nas metas 2013-14” será apresentado em detalhes por Maria Lucia Meirelles Reis, diretora do Todos Pela Educação, no dia 30 de julho, no auditório da Fundação FEAC, no Encontro Mensal do Compromisso Campinas pela Educação. Será às 10h, com entrada gratuita, com preenchimento de vagas por ordem de chegada.