Professores fazem manifestação e interditam rodovia em Campinas

Professores fazem manifestação e interditam rodovia em Campinas

Um protesto que reuniu professores da rede estadual de ensino interditou um trecho da Rodovia Jornalista Francisco Aguirre Proença (SP-101), que liga Campinas (SP) a Monte Mor (SP), na manhã desta quarta-feira (29). Os educadores estão em greve por melhores salários e condições de trabalho há 48 dias.

A manifestação causou lentidão no trânsito na altura do Trevo da Bosch, no sentido Campinas, até as 8h. Os educadores, que chegaram a fechar a rodovia, se deslocaram para o acostamento próximo à multinacional por volta das 8h10, liberando a pista principal. Às 8h30 o protesto terminou.

Cerca de 100 a 150 professores participaram da manifestação, de acordo com a subsede de Sumaré (SP) do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp). A adesão à greve na cidade é de aproximadamente 45%.

Os motoristas que passaram pelo local durante o horário de pico enfrentaram 7 km de lentidão, de acordo com a concessionária Rodovias do Tietê. Ruas e avenidas dos bairros Parque Santa Bárbara e Vila Boa Vista que dão acesso à rodovia também tiveram congestionamento.

Segundo Diego Vilanova, assessor estadual da Apeoesp que estava na manifestação, os professores devem percorrer escolas de Sumaré, Hortolândia (SP) e Campinas para ações de conscientização dos professores que não aderiram à greve.

Protesto na Avenida John Boyd

Uma outra manifestação também causou interdição do trânsito na Avenida John Boyd, no Jardim Ipaussurama, em frente ao Shopping Parque das Bandeiras. O protesto no local ocorreu entre as 6h30 e 7h desta quarta, de acordo com a Apeoesp.

Segundo a diretora da subsede de Campinas, Suely Fátima de Oliveira, um grupo de 50 educadores protestou no semáforo em frente ao shopping e bloqueou o trânsito por 30 minutos nos dois sentidos da avenida e também no retorno.

Outras ações de manifestação estão programadas para esta quarta Os professores farão doação de sangue no hemocentro da Unicamp e farão panfletagem no Centro da cidade.

Greve
A greve dos professores da rede estadual de ensino começou no dia 13 de março. Em Campinas, algumas escolas estão com falta de professores, segundo a Apeoesp. A adesão na cidade é de 15% a 20%.

Em 48 dias de mobilização dos educadores, algumas reuniões e assembléias com representantes do governo do estado foram feitas, mas sem acordo. Uma nova assembleia está marcada para esta quinta na capital.

De acordo com a Secretaria da Educação existe uma liminar que proibe o fechamento de ruas, avenidas e estradas pelos grevistas. A multa prevista é de R$ 100 mil. No entanto, a Apeoesp informou que não tem conhecimento desta liminar.

Em relação à negociação, a Secretaria informou que fez três propostas aos grevistas e se mantém aberta ao diálogo.

Fonte: Portal G1