Prêmios e iniciativas escolares são incentivo

Prêmios e iniciativas escolares são incentivo

A história de Deise mostra que o caminho para quem deseja ser cientista não precisa começar só na universidade – e tampouco se limitar aos laboratórios. Uma paixão que pode ser despertada nos primeiros anos de vida começa mesmo a ganhar incentivo a partir do primeiro ano do Ensino Médio. É quando as feiras de ciências ganham força nas escolas e o aluno pode aliar o desenvolvimento de projetos e cursos técnicos às disciplinas tradicionais do currículo.

E, se essas oportunidades dependem da estrutura dos colégios, também há espaço para a iniciativa dos estudantes se sobressair. Além dos destinados a universitários e pesquisadores, alguns prêmios também promovem incentivo à iniciação científica, contemplando jovens com reconhecimento, benefícios (alguns até em dinheiro), e estimulando a continuação dos estudos.

Uma dessas iniciativas, o Prêmio Jovem Cientista, há 31 anos busca impulsionar a pesquisa no país – contanto que parta do próprio estudante o interesse de inscrever seus projetos no concurso.

– Quando a escola entra como um todo (no prêmio), o engajamento é muito bom, mas contamos muito com a iniciativa individual – revela o coordenador do Prêmio Jovem Cientista, Felipe Fernandes.

Ele explica que, para seguir na carreira, é necessário aliar vontade e metodologia de pesquisa:

– Curiosidade todo mundo tem, o brasileiro não consegue se colocar diante de um problema sem buscar uma solução. Mas é importante colocar isso no papel. Aí, pronto, você tem um trabalho científico.

Uma das vencedoras do Prêmio Jovem Cientista no ano passado, a estudante Izabel Souza Barbosa, fez uma pesquisa de sociologia no Ensino Médio no Instituto de Aplicação Fernando Rodrigues da Silveira. A partir de um questionário promovido na escola onde estuda, a jovem mostrou como as aulas de educação física e o esporte poderiam combater o bullying – e conseguiu fazer com que a diretoria promovesse ações para combater essa prática.

A sugestão é formular os próprios questionamentos. A inspiração pode surgir de dificuldades do dia a dia, ou obstáculos encontrados na região onde o jovem mora. Há também a opção de conversar com professores e então descobrir temas acessíveis – ou nem tanto – sobre os quais se possa mergulhar em busca de soluções. Com a orientação de um professor, ou mesmo sozinho, a jornada de um cientista não tem hora para começar. Basta colocar em prática o desejo de aprender.

OPORTUNIDADES DESDE O ENSINO MÉDIO

Prêmio Jovem Cientista

Há diversos projetos de incentivo à produção científica ainda na escola

O quê: parceria do CNPq com a Fundação Roberto Marinho, tem como objetivos revelar talentos, impulsionar a pesquisa no país e investir em jovens pesquisadores.

Quem pode participar: são três categorias, voltadas para estudantes do Ensino Médio, universitários e alunos de mestrado e doutorado.

Prêmios: um notebook para cada um dos três primeiros lugares na categoria Ensino Médio, e prêmios em dinheiro para os vencedores da categoria Ensino Superior.

-O prêmio abre inscrições de 11 de agosto a 19 de novembro. O tema deste ano será segurança alimentar e nutricional.
Site: jovemcientista.cnpq.br

Prêmio Jovens Fora De Série

O quê: iniciativa da Fundação Estudar com apoio da Junior Achievement, reconhece e premia adolescentes que se destacam em feiras de ciências.

Quem pode participar: jovens de 14 a 18 anos matriculados no Ensino Médio.

Prêmios: quatro bolsas de estudo para curso de inglês por um ano e um programa de potencialização de talentos por seis meses.

-Antes chamado Prêmio Estudar Ciência, em 2014 passou a incluir também as áreas de humanas e empreendedorismo.

Site: jovemcientista.cnpq.br

Prêmio Mercosul De Ciência E Tecnologia

O quê: realizado pela Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia (RECyT) do Mercosul, incentiva a pesquisa científica e tecnológica voltada para os países da América do Sul..

Quem pode participar: estudantes de Ensino Médio e da Educação de Jovens e Adultos, estudantes universitários e pesquisadores

Prêmios: distribui prêmios em dinheiro, além de destacar os participantes com menções honrosas, troféus e publicação do trabalho em livro.

-Devido a indefinições na liderança do Mercosul, o prêmio teve o início adiado neste ano e deve abrir as inscrições em 11 de agosto.

Site: zhora.co/premiomercosul

Fonte: Zero Hora