Plataforma de softwares para alunos com deficiência é implantada na rede

Plataforma de softwares para alunos com deficiência é implantada na rede

O “Campix”, pacote de softwares com tecnologias assistivas de uso educacional para crianças com deficiências, foi lançado nesta sexta-feira,, 19 de setembro, na Escola Municipal de Ensino Fundamental Raul Pilla. A ação é resultado do trabalho das secretarias de Educação e dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida de Campinas, para proporcionar a inclusão e a autonomia do aluno com deficiência por meio da informática.

“Temos como determinação que Campinas seja uma cidade mais humana, na qual todos possam ser mais felizes, com ou sem deficiência. Estamos transformando a criança em protagonista da própria história”, disse a secretária dos Direitos da Pessoa com Deficiência e Mobilidade Reduzida, Emmanuelle Alkmin.

Também estiveram presentes a primeira-dama Sandra Ciocci, o secretário interino de educação, Júlio Moretto, o diretor do Departamento de Informatização (Deinfo), Leandro Telles; o presidente da Informática dos Municípios Associados (IMA), Fábio Pagani, a diretora da escola, Rosane Dorazio e o diretor de Projetos de Inclusão, Gustavo Merlo, além de crianças, pais e outros professores.

A plataforma foi apresentada pelo assessor de currículos e pesquisas educacionais da Coordenadoria Setorial de Formação (Cefortepe), Alexandre Tadeu Dias e por crianças da escola que demonstraram o uso dos programas. Vários aplicativos de tecnologia assistiva, disponíveis em softwares livres, foram reunidos em uma única plataforma, para ser disponibilizado na rede municipal de ensino e com possibilidade de, no futuro, para toda a população. “Temos um desejo grande que não haja diferença entre as escolas, que todos tenham a mesma oportunidade. Estamos dando um passo nessa direção”, disse a primeira-dama, Sandra Ciocci.

O programa será implementado na EMEF Raul Pilla e, a partir do dia 22 de setembro, gradativamente, o Campix será instalado em um computador de cada uma das 44 escolas municipais do ensino fundamental. O “Campix” foi desenvolvido a custo zero para o município, utilizando somente recursos humanos do Núcleo de Tecnologia Educacional (NTE), da Secretaria Municipal de Educação, e do Departamento de Informatização (Deinfo). “É um prazer lançar esta tecnologia assistiva, estamos no caminho da inclusão”, comentou o secretário interino de Educação, Júlio Moretto.

Os aplicativos já existiam e estavam disponíveis para download, mas não funcionavam juntos, como será agora com o “Campix”. Esse formato é considerado inédito na região. Crianças com as mais diversas deficiências podem acessar o “Campix” e utilizar o programa mais adequado de acordo com a necessidade. Há softwares com recursos para ser utilizado por crianças cegas, surdas, com mobilidade reduzida, autistas, entre outras. “É uma ideia simples, mas que tem um grande impacto para essas crianças”, afirmou o diretor de Projetos de Inclusão, Gustavo Merlo.

Pablo Henrique Fernandes Magno, de 10 anos, tem deficiência intelectual e de coordenação motora. Ele foi o primeiro a testar o programa Eviacam, com o qual é possível mexer a seta do mouse apenas com movimentos da cabeça. “Achei muito bom”, disse. Mayara Teixeira Samorra, 15 anos, que tem Síndrome de Down, disse que adorou trabalhar com os recursos dos programas, especialmente em matemática. Comentou que o treinamento junto aos professores foi essencial.

Os professores da rede municipal serão capacitados, por meio de cursos on-line e em encontros presenciais, pela Coordenadoria Setorial de Formação (Cefortepe), ligado à Secretaria de Educação, para orientar os alunos no uso das ferramentas.

Dirce – tocador de livros formato daisy.
Wine – emulador (sotware que permite a execução de outros) para uso de softwares nativos ao sistema windows.
Eviacam – software que permite controlar o mouse do computador utilizando movimentos da cabeça por meio da webcam.
Kmag – lupa para o desktop que permite aumentar em até 20 vezes o local onde o mouse estiver colocado.
Orca – leitor de tela que permite navegar pelos programas do computador ouvindo as opções.
Onboard – teclado virtual que permite ser aumentado ou diminuído para melhor utilização do usuário.
Tdgrux – jogos que visam auxiliar a interação de crianças autistas de grau severo.
Videre – software composto de jogos para estimulação visual, de forma a desenvolver e treinar os resíduos visuais de crianças com baixa visão.
Jclic – atividades usando libras.
Gcompris – dezenas de atividades educacionais para crianças entre 6 a 12 anos.
Tux math – trabalha o ensino de matemática por meio de games.
Tux typing – para brincar utilizando o teclado, estimula a alfabetização
Tux paint – desenho que contém diversas ferramentas que estimulam a criatividade e a imaginação.
Hagaqué- software para criação de histórias em quadrinhos.

Há ainda software de produtividade, o pacote de escritório Libre Office e o Stopmotion, que permite criar animações com a técnica Stopmotion e o Openshot, editor de vídeo.

Fonte: Prefeitura de Campinas