Pesquisa inédita analisa o envolvimento de pais e responsáveis nas atividades dos filhos

Pesquisa inédita analisa o envolvimento de pais e responsáveis nas atividades dos filhos

Anamaria Nascimento

Uma pesquisa inédita sobre o envolvimento de pais e responsáveis nas atividades dos filhos com idades entre 4 e 17 anos foi apresentada ontem em São Paulo, durante o 4o Seminário Internacional de Desenvolvimento da Primeira Infância. O estudo, realizado este ano pelo Ibope, ouviu 2.002 pessoas de todas as regiões do país.

O mapeamento analisou os graus de vínculo e valorização dos pais e responsáveis com os filhos. “A valorização é composta por atitudes mais relacionadas ao cotidiano da vida escolar, como checar a lição de casa, levar à escola, ir às reuniões de pais”, explicou a coordenadora do movimento Todos pela Educação, Alejandra Meraz Velasco. “Já o vínculo considera comportamentos e ações ligados ao relacionamento afetivo desses pais e responsáveis com a criança ou o jovem, como dialogar sobre as preferências e opiniões deles e passar momentos juntos dentro e fora de casa”, completou.

A pesquisa dividiu os pais e responsáveis em cinco perfis de acordo com as atitudes: comprometidos, envolvidos, vinculados, intermediários e distantes, sendo os comprometidos aqueles que apresentaram maior graduação na escala que combina vínculo e valorização e distantes o de menor grau.

A maioria dos entrevistados (27%) se enquadrou na categoria vinculados, ou seja, os que, em geral, praticam mais ações de vínculo do que de valorização. Os “envolvidos” representam 25% da amostra. São pais que praticam mais ações de valorização do que de vínculo.

Os “distantes” equivalem a 19% dos pais que participaram da pesquisa e apresentam o conjunto de respostas que demonstra o grau mais baixo de vínculo e valorização. Os “intermediários” somam 17% e formam um grupo que apresenta uma média de respostas tanto em relação ao vínculo quanto com relação à valorização maior do que a dos “distantes”, porém abaixo da graduação máxima.

Já o grupo dos comprometidos corresponde a 12% dos pais e responsáveis. Eles apresentaram o conjunto de respostas com maior graduação tanto na dimensão valorização quanto vínculo.

Evento

O desenvolvimento e a segurança infantis voltam a ser discutidos hoje, no último dia do 4o Simpósio Internacional de Desenvolvimento da Primeira Infância. O evento recebe especialistas sobre o assunto e reúne cerca de 400 profissionais das áreas de saúde, educação, assistência social, economia e psicologia.

A primeira infância corresponde ao período que vai da gestação até os 6 anos, faixa etária vista pelos pesquisadores como a mais importante para o desenvolvimento infantil.

Fonte: Diário de Pernambuco