Obra abandonada em escola de Campinas oferece risco aos alunos

Obra abandonada em escola de Campinas oferece risco aos alunos

Terreno tem lixo, estruturas metálicas e até uma betoneira esquecida.
Secretaria Estadual de Educação não deu prazo para retomada do serviço.

Apesar do custo de R$ 3,6 milhões aos cofres públicos, a obra de ampliação da escola estadual Benedita de Sales Pimentel, no Jardim Nova América, em Campinas (SP), está abandonada. A paralisação da reforma coloca em risco alunos, professores e funcionários da instituição de ensino.

No local podem ser encontrados materiais de demolição, madeiras substituindo paredes e estruturas abandonadas, como um elevador que nunca chegou a funcionar. É possível ver também estruturas metálicas, além de lixo como garrafas pet e embalagens plásticas que podem acumular água e servir de criadouro para o mosquito da dengue.

Nova ala
A escola era interligada a outro prédio, que foi demolido para a construção de nova ala com salas de aula, porém as obras não foram terminadas e a construtora ainda não retirou os materiais utilizados, como uma betoneira, equipamento utilizado para a mistura de concreto e argamassa.

“Eu me sinto envergonhada porque esse é o único local de estudo e educação que temos por aqui”, conta Rosângela Maria, mãe de um dos alunos da escola.

Prazo
O início das obras foi em agosto de 2013 e o prazo de conclusão estava previsto para 270 dias, mas a construção está parada

“Tudo parado e sem prazo pra retomar a obra. Nada foi feito, está tudo largado. Procuramos a secretaria (estado) e responderam que não tem prazo pra retomar. Os alunos vão ficar abandonados nessa escola”, explica Filipe Marchesi, presidente da associação do bairro.

De acordo com a Secretaria Estadual de Educação, o contrato com a construtora foi rompido por descumprimento dos prazos estipulados.

No entanto, a secretaria informou ainda que enviará técnicos ao local para minimizar os problemas e reforçar o isolamento no canteiro de obras, mas não deu prazo para a realização dos serviços.

Fonte: g1.globo.com