Ministros da Educação da América Latina e Caribe se reúnem para discutir o futuro da região rumo a 2030

Ministros da Educação da América Latina e Caribe se reúnem para discutir o futuro da região rumo a 2030

Ministros, representantes de organizações regionais e internacionais e sociedade civil se encontram na Reunião Regional dos Ministros da Educação – organizada pela UNESCO e pelo Ministério da Educação e Esportes da Argentina – para definir uma visão compartilhada de educação para a região no caminho para 2030 e discutir estratégias e políticas que possam fazer avançar o alcance dos objetivos que esses países estabeleceram para si.
América Latina e Caribe estão enfrentando desafios no aproveitamento de sua tremenda capacidade intelectual, oportunidades fiscais e vontade política para avançar rumo à construção de sociedades avançadas e educadas, preparadas para assumir os desafios do século XXI.

Nesse contexto, ministros da Educação da América Latina e Caribe se reunirão na Argentina para discutir o futuro educacional da região na abordagem da Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável. A reunião chamada: “E2030: Educação e Habilidades do Século XXI”, será realizada nos dias 24 e 25/01/2017, em Buenos Aires e está sendo organizada pelo Ministério de Educação e Esportes Argentina e o Escritório Regional de Educação da UNESCO para a América Latina e o Caribe (OREALC/UNESCO Santiago).

O encontro ocorrerá no Palácio San Martín, na sede do Ministério de Relações Internacionais da Argentina, e será a primeira reunião regional de acompanhamento da Agenda de Educação 2030 (Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 4, que busca “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”).

Esse é um espaço para diálogo, onde os participantes serão informados sobre a Educação 2030, seus objetivos e o caminho para alcançá-los: o Marco de Ação Educação 2030. Esse documento, aprovado em novembro de 2015 pela comunidade internacional no Fórum Mundial de Educação, oferece aos governos e seus parceiros orientações para transformar compromissos em ação. Começando desse ponto comum, a informação será compartilhada e áreas de trabalho e objetivos serão discutidos em conjunto com mecanismos de coordenação e instrumentos de monitoramento para garantir sua realização.

Na reunião, que também terá a participação de representantes de organizações multilaterais e regionais, assim como da sociedade civil, uma visão regional compartilhada da Educação 2030 (E2030) será definida. Ela será usada para criar estratégias e programas em nível nacional e regional. Isso será apresentado em uma declaração conjunta chamada: “Declaração de Buenos Aires”.

O desafio: Consolidar o progresso e cumprir os novos objetivos 2030

Durante o ciclo 2000-2015, América Latina e Caribe testemunharam o mais significante progresso na educação de todas as regiões do mundo. Não apenas melhoraram as taxas de alfabetização e aumentaram o acesso à educação primária e secundária, mas também experimentaram uma melhora geral nos resultados de aprendizagem e uma expansão notável na cobertura da educação superior.

Vários países embarcaram em um progresso de reforma educacional, mostrando seu compromisso e colocando a educação no coração das suas agendas nacionais de desenvolvimento.

A UNESCO acredita que é fundamental consolidar esse impulso protegendo os benefícios educacionais adquiridos por tanto trabalho duro, lançando as bases de expansão e desenvolvimento de acordo com os objetivos E2030. Apesar de reconhecer os esforços realizados até agora, ainda existem várias áreas de preocupação. Por exemplo, é necessário acelerar o acesso universal à educação básica, que tem altos níveis de cobertura, e esforços devem ser rapidamente feitos para o alcance da educação secundária universal.

A qualidade da educação e da aprendizagem é outra séria preocupação. A região precisa repensar e modernizar as dimensões de qualidade da educação a fim de satisfazer as necessidades para um mundo que está rapidamente evoluindo, dominado pela informação e pela tecnologia. Os estudantes precisam ser alfabetizados e preparados para empregos do futuro, e os países precisam redesenhar seus sistemas educacionais para que eles possam satisfazer essa expectativa.

Em resumo, não se pode continuar tratando a educação como já estamos acostumados. A América Latina deve se beneficiar da sua tremenda capacidade intelectual, suas oportunidades fiscais e vontade política para dar um grande salto e juntar-se aos grupos mais avançados educacionalmente da sociedade e se preparar para enfrentar os desafios do século XXI.

A reunião de Buenos Aires representa o primeiro e mais importante passo nessa direção. Esse será o primeiro encontro desse tipo depois da adoção da Agenda de Desenvolvimento Sustentável, que ocorreu em setembro de 2015. Isso proporciona um espaço de diálogo entre ministros da educação da América Latina e Caribe e outros interessados em educação, uma área chave para o futuro das gerações que estão por vir.

Fonte: UNESCO