Ministério diz que dinheiro para educação está ‘difícil’

Ministério diz que dinheiro para educação está ‘difícil’

Ligia Guimarães

O Ministro da Educação, Renato Janine Ribeiro, afirmou que a falta de dinheiro, em ano de crise e aperto fiscal, é um obstáculo ao cumprimento das metas do Plano Nacional de Educação (PNE), sancionado em junho do ano passado. Reafirmou ainda, diante do cenário difícil, que o PNE é responsabilidade de toda a sociedade. “O MEC pode ser protagonista, mas não é o único ator”, disse.

Em debate no Centro Ruth Cardoso, o ministro reiterou que o MEC tem atuado intensamente em prol do PNE, predominantemente na articulação e planejamento. “Estamos seguindo o que determina o PNE. Está difícil a parte que se refere a dinheiro, porque não temos dinheiro”, afirmou o ministro, que disse que a falta de recursos “demorará a ser solucionada”, afirmou a uma plateia de educadores e especialistas em educação. Participaram também do debate outros especialista como Neca Setúbal, Maria Helena Guimarães de Castro, e Mauro Salles Aguiar, diretor do colégio Bandeirantes.

Como exemplo do papel articulador do MEC, Janine disse que prevê entregar ao Conselho Nacional de Educação em fevereiro, quatro meses antes do prazo determinado no PNE, o texto da base nacional comum da educação, que definirá os conhecimentos que cada estudante brasileiro deve aprender na educação básica. “Podemos, nesse período de dificuldades, preparar conceitualmente o melhor possível as ações para o futuro”, afirmou, destacando que o PNE foi aprovado e demandado por toda a sociedade, bem como Congresso e Senado. “Todos os partícipes do poder público são responsáveis pelo PNE”, disse.

Fonte: Valor Econômico