Ex-secretário de Kassab, Schneider comandará Educação na gestão Doria

Ex-secretário de Kassab, Schneider comandará Educação na gestão Doria

PAULO SALDAÑA
DE SÃO PAULO

21/11/2016 21h15 – Atualizado às 23h00

O prefeito eleito João Doria (PSDB) vai anunciar a volta de Alexandre Schneider à secretaria municipal de Educação da cidade de São Paulo. O novo secretário deve ser oficializado na quinta-feira (24).

Schneider, 46, foi titular da pasta entre 2006 e 2012, na gestão do ex-prefeito Gilberto Kassab (PSD). Na eleição municipal de 2012, foi ainda candidato a vice-prefeito na chapa derrotada do atual ministro das Relações Exteriores, José Serra (PSDB).

A equipe de Doria havia convidado para a Educação o educador Mozart Neves Ramos, atualmente na direção de articulação e inovação do Instituto Ayrton Senna. Ramos, entretanto, não aceitou alegando motivos pessoais.

Administrador por formação, Schneider é filiado ao PSD e concorreu para deputado estadual em 2014, mas não foi eleito. Atualmente, realiza pesquisas no Centro de Economia e Política do Setor Público da FGV (Fundação Getulio Vargas).

O futuro secretário não foi encontrado pela reportagem para comentar a escolha.

Schneider foi filiado ao PSDB antes de migrar para o PSD de Kassab em 2015. Na eleição municipal deste ano, que elegeu Doria prefeito, o PSD apoiou a candidatura de Marta Suplicy (PMDB) e o nome de Schneider era um dos cotados para reassumir a secretaria de Educação em uma eventual vitória dela.

DESAFIOS

Na época em que esteve à frente da secretaria da Educação da capital paulista, Schneider manteve boa relação com professores. Por outro lado, quando deixou a pasta, em 2012, as notas da rede no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) estavam abaixo das metas do indicador federal.

Apesar da expansão de matrículas em creches, a fila por vagas chegava a 94 mil no final de sua gestão na pasta.

Agora, novamente, a ampliação das vagas de creches será um dos principais desafios. Doria prometeu zerar a fila por vagas nesta etapa em um ano. Havia em setembro 133 mil crianças sem creche. Para incluir todas em 2017, a gestão tucana terá que abrir, em média, 2,6 creches por dia.

Na gestão Haddad (PT), passaram pelo cargo Cesar Calegari, Gabriel Chalita e a vice-prefeita Nadia Campeão, ainda no posto.

Secretários de Doria

Fonte: Folha de São Paulo