Desenvolvimento de crianças e jovens é foco de estudo

Desenvolvimento de crianças e jovens é foco de estudo

Rodrigo Pereira

Um estudo de doutorado da Faculdade de Educação Física da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) mostrou que os valores absolutos de peso, estatura e IMC (Índice de Massa Corporal) de crianças e adolescentes de Campinas ficaram abaixo do preconizado na CDC-2012, um conjunto de normas internacionais que são referência para a detecção, vigilância e supervisão do desenvolvimento físico nessa faixa etária.

A pesquisadora Rossana Anelice Gómez Campos explicou que o método relaciona a idade biológica de um indivíduo à sua idade cronológica. “Crianças da mesma idade e sexo podem ter diferenças no ritmo de desenvolvimento e apresentar maturação precoce, normal ou tardia. O tempo de ocorrência depende do sexo e do estágio maturacional”, explicou.

Por outro lado, posto que na adolescência ocorrem muitas mudanças biológicas – como a maturação sexual, o aumento da estatura e do peso corporal, assim como a finalização do crescimento esquelético –, torna-se imprescindível uma avaliação sobre a maturação, o ritmo e o tempo de progressão em direção à maturidade.

A novidade do estudo, ressalta a pesquisadora, está na proposição de curvas (padrões de avaliação) para a região de Campinas, que poderão ser utilizadas inclusive pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação, para o controle do crescimento e do estado nutricional de crianças e adolescentes.

Rossana Gómez menciona que isso propiciará a avaliação da maturação somática para grandes populações. “As curvas que desenvolvemos ajudarão no diagnóstico, na monitorização e no controle do crescimento e do estado nutricional de crianças e adolescentes de Campinas.”

As mudanças, observadas no tamanho corporal, sugerem o uso de padrões regionais para avaliar a trajetória do crescimento físico através de estudos clínicos ou epidemiológicos.

Amostragem

A pesquisa foi realizada entre 2011 e 2012, com 6.531 crianças e adolescentes (3.315 meninos e 3.216 meninas), provenientes da rede pública de educação de Campinas.

Rossana Gómez contou que a equação do PVC (pico de velocidade de crescimento) mostrou-se válida para determinar a maturação somática dos escolares. A maturação é um processo de alterações fisiológicas que se inicia com uma sucessão de mudanças – biológicas, psicológicas e cognitivas -, manifestando-se mais intensamente na adolescência.

Foram avaliadas as variáveis de idade decimal, peso corporal, estatura e estatura tronco-cefálica de crianças e adolescentes com idade entre 6 e 18 anos.

Foram incluídas aleatoriamente 15 escolas da zona urbana.

Fonte: Portal Todo Dia