Campinas ganha primeiro Centro Público de Tecnologia da América Latina

Campinas ganha primeiro Centro Público de Tecnologia da América Latina

O primeiro Centro Público de Tecnologia e Inclusão Social (CPTIS) da América Latina foi oficializado nesta quinta-feira, dia 25 de junho, junto às instalações do CIS-Guanabara, em evento que contou com a presença do prefeito Jonas Donizette. O projeto é desenvolvido pela Unicamp em parceria com a Prefeitura de Campinas, por meio da Secretaria de Trabalho e Renda, e com financiamento do Ministério de Ciência e Tecnologia e Inovação.

Um de seus objetivos é o desenvolvimento de tecnologia social e a adequação de tecnologias convencionais visando atender as necessidades de empreendimentos solidários, em especial dos participantes dos programas de Economia Solidária da Secretaria Municipal de Trabalho e Renda de Campinas. Os projetos serão desenvolvidos mediante o esforço conjunto de estudantes, professores e pesquisadores de distintos níveis e modalidades de ensino e de pesquisa, de ONGs, de gestores públicos e dos integrantes destes empreendimentos.

“A demanda vai ser gerada por quem precisa, que são os participantes dos programas de economia solidária. O pessoal da Unicamp é quem vai procurar uma solução para essa demanda, que pode ser um curso ou um equipamento”, explicou o prefeito Jonas Donizette. “Este Centro é mais uma maneira de dar apoio ao trabalhador em suas atividades”, completou.

O secretário de Trabalho e Renda, Arnaldo Salvetti, destacou que os participantes dos programas de sua secretaria serão beneficiados. Mas disse que o Centro de Tecnologia Social atenderá também outras organizações de cunho filantrópico.

“É o primeiro Centro com essa finalidade na América Latina e foi criado para desenvolver um trabalho social para quem precisa”, explicou. O professor Sandro Tonso, da Unicamp, enfatizou que “é a oportunidade para construir conhecimento com a comunidade”, ganhando o reforço da professora Teresa Dib Zambon Atvars, para quem “o Centro vai levar para dentro da Unicamp a experiência e competência da sociedade”.

Pelo convênio firmado, o MCTI destinará R$ 540 mil para o Centro e a contrapartida do município será de R$ 216 mil, totalizando R$ 756 mil. Caberá ao Centro promover cursos de Formação em Tecnologia Social (TS) e Economia Solidária; criar um Núcleo de Documentação sobre TS; desenvolver projetos de TS e Adequação Sociotécnica; organizar uma rede de desenvolvedores de TS. Também será função do equipamento manter contato permanente com organizações relacionadas ao tema, como as Incubadoras Tecnológicas de Cooperativas Populares, órgãos do MCTI, a Fundação Banco do Brasil e universidades nacionais e de outros países latino-americanos.

O Centro é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Trabalho e Renda da Prefeitura Municipal de Campinas (PMC), o Grupo de Análise de Políticas de Inovação (Gapi) e a Pró-reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Unicamp, com financiamento do Ministério de Ciência Tecnologia e Inovação.

Fonte: Prefeitura Municipal de Campinas