Bernardo Toro defende mudança de paradigmas na abertura da 5ª Semana da Educação de Campinas

Bernardo Toro defende mudança de paradigmas na abertura da 5ª Semana da Educação de Campinas

A qualificação da educação no Brasil e em toda América Latina depende da mudança de vários paradigmas que têm orientado o setor. A posição foi defendida pelo filósofo e educador colombiano Bernardo Toro na abertura da 5ª Semana da Educação de Campinas, na noite de segunda-feira, 03 de novembro, no Teatro Brasil Kirin do Iguatemi Campinas. Iniciativa da Fundação FEAC, no âmbito do Compromisso Campinas pela Educação (CCE), a 5ª Semana da Educação terá 12 eventos até a sexta-feira, dia 07, em diversos espaços e para diferentes públicos.

Para Bernardo Toro, o Brasil “tem enorme responsabilidade em termos de educação porque ele dá exemplo para toda América Latina”. Ele defendeu mudanças de paradigmas, para que a educação tenha melhor qualidade no país e no continente. “Se não mudamos paradigmas, não mudamos nossas percepções e sentimentos e, com isso, a educação nada muda”, observou.

São quatro principais paradigmas que, na sua opinião, devem ser modificados na área educacional no cenário latinoamericano. Em primeiro lugar, “não é possível aceitar como normal a existência de dois sistemas educativos de diferente qualidade, um estatal e um privado”. “É preciso mudar o desenho da educação, no sentido de uma verdadeira educação pública, senão os esforços de uma educação de qualidade para todos não serão viáveis”, advertiu o colombiano, para quem a educação deve ser vista, então, como “um bem público”.

Um segundo paradigma a ser modificado é o de “definir o educador como docente”. Para Toro, “a educação inclusiva requer uma nova definição de educador, como profissionais da aprendizagem, e que prestem contas à sociedade sobre seu trabalho”. A docência, destacou, é “apenas uma estratégia profissional (como a consulta para o médico), mas não define a profissão”. A profissão do educador, completou, “é garantir que cada geração de crianças e jovens aprendam o que têm para aprender no momento que têm para aprender e que aprendam com felicidade e solidariedade”.

Dar prevalência às abordagens pedagógicas de natureza frontal e magistral é o terceiro paradigma a ser transformado, frisou Bernardo Toro. Para ele, “a educação inclusiva pede que os enfoques pedagógicos dos sistemas educativos passem dos modelos pedagógicos frontais e magistrais para modelos de aprendizagem colaborativa e cooperativa em grupo”.

E o quarto paradigma a ser superado, acrescentou, é aquele que considera “a valorização da inteligência como um bem privado, individual e que tem supremacia sobre os outros”. O filósofo e educador colombiano, um dos mais respeitados nomes na Educação na América Latina, entende que “uma educação inclusiva supõe renunciar ao princípio guerreiro da inteligência como força intelectual para passar ao altruísmo cognitivo”. E o altruísmo cognitivo, concluiu, “supõe entender o cuidado do intelecto sob condições de aceitação da debilidade e a cooperação humana”.

Convidados – O presidente da Diretoria Executiva da FEAC, Antônio Carlos de Moraes Salles Filho, o Tutti, abriu oficialmente a 5ª Semana da Educação de Campinas, destacando o apoio que o Compromisso Campinas pela Educação (CCE) tem alcançado, em sua missão de mobilizar a sociedade pela melhoria da qualidade da educação.

A diretora do movimento nacional Todos Pela Educação, Maria Lucia Meirelles Reis, destacou por sua vez que o CCE tem sido um exemplo nacional de mobilização. E o secretário municipal da Educação de Campinas em exercício, Julio Moretto, aplaudiu o tema da 5ª Semana da Educação, a Valorização do Professor. “A valorização do professor é fundamental para que sejam criadas as condições de aprendizagem que garantam uma educação de qualidade”, disse.

Entre outros, participaram da abertura da 5ª Semana da Educação de Campinas a secretária municipal de Cidadania, Assistência e Inclusão Social de Campinas, Jane Valente, a secretária municipal do Direito das Pessoas com Deficiência e Mobilidade Reduzida de Campinas, Emanuelle Garrido Alkmin, a diretora executiva da FUMEC, Darci da Silva, a deputada estadual Célia Leão e representantes das diretorias de ensino de Campinas e de secretarias municipais de educação de várias cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC).

São patrocinadores máster da 5ª Semana da Educação de Campinas o Grupo DPaschoal, a Graber e o Iguatemi Campinas. CPFL Energia e Instituto Robert Bosch são patrocinadores especiais, ao lado dos apoiadores Brasil Kirin, Prefeitura Municipal de Campinas, Fundação Educar DPaschoal, Governo do Estado de São Paulo, SESI, Todos Pela Educação e Vitória Hotel.

A 5ª Semana da Educação de Campinas, aberta a 03 de novembro, segue até dia 07, sexta-feira, com a promoção de palestras, oficinas e debates gratuitos, entre outras atividades, voltados para educadores e comunidade em geral.

Informações: www.semanadaeducacao.org.br