Atraso escolar entre mais pobres é três vezes maior que na camada rica do país

Atraso escolar entre mais pobres é três vezes maior que na camada rica do país

O Brasil tem 3,7 milhões de estudantes do ensino fundamental, com idades entre 13 e 16 anos, que estão atrasados na escola, segundo a Síntese dos Indicadores Sociais, divulgada nesta quarta pelo IBGE. Na faixa dos 20% com renda per capita mais baixa, a distorção entre idade e série cursada é três vezes maior do que no estrato mais rico. O abismo educacional entre as classes sociais é tão grande que, em 2013, o atraso escolar afetou 54% dos estudantes com menor renda, e apenas 16,2% dos que figuram entre os 20% mais ricos.

As regiões Norte e Nordeste são as que têm maior distorção entre idade e série cursada, apesar de terem caído na comparação com 2004: 55,2% e 52,2%, respectivamente. No Sudeste, o número também é grande: 31,5%. O IBGE traçou o perfil desses estudantes: A maioria é composta por homens, estudantes da rede pública, residentes em área rural e de cor preta ou parda.

— Temos que investir fortemente na educação de tempo integral, e o governo está agindo de forma míope na medida que não está investindo solidamente na educação básica, temos negligenciado ela, até porque não há uma coordenação nacional. Em São Paulo ela tem uma conotação, no Maranhão tem outra. O Plano Nacional de Educação não existe na prática, só no papel — criticou Freitas.

Fonte: O Globo