Aplicativo estimula engajamento no aprendizado

Aplicativo estimula engajamento no aprendizado

Janes Rocha e Marleine Cohen

Um aplicativo brasileiro está automatizando o velho recado do professor para os pais, anotado no caderno das crianças. É o ClassApp que, baixado no celular, permite a comunicação direta e instantânea da escola com a família.

Criado pelo engenheiro Vahid Sherafat, de Limeira (SP), o ClassApp já está sendo adotado em escolas particulares e em agosto, a startup que desenvolveu o aplicativo assinou um convênio com o Governo do Estado de São Paulo, que permitirá a distribuição a cerca de dez mil alunos do Centro Estadual de Educação Tecnológica Paula Souza e às suas famílias.

A Fundação Itaú Social estuda adotar o ClassApp no Programa Coordenadores de Pais (PCP) implementado em 440 escolas em cinco Estados. Um projeto-piloto será realizado em Santos (SP), ainda neste segundo semestre, pela Fundação em parceria com a Secretaria Municipal de Educação.

Os números ainda não estão fechados, mas em princípio, o projeto-piloto vai abranger, possivelmente, entre três a seis estabelecimentos e um total de cinco mil famílias, informou Toni Niccolini, gestor de projetos da Fundação Itaú Social. “A ideia é ter uma comunicação com os pais no sentido de dar dicas de como eles podem se aproximar da escola, apoiar a educação dentro de casa, valorizar os professores e ter uma rotina escolar”, explica Niccolini.

O uso do recurso tecnológico resulta de um exaustivo mapeamento realizado pela Fundação de estudos internacionais que buscam entender como o envolvimento dos pais nas atividades relacionadas à educação dos seus filhos pode lhes proporcionar um melhor desenvolvimento.

Para tanto, explica Antônio Bara Bresolin, coordenador de Avaliação Econômica de Projetos Sociais da Fundação Itaú Social, foram destrinchados os seis melhores trabalhos existentes na área. Todo esse conteúdo foi em seguida usado como “insumo para qualificar as ações concretas da Fundação”, em especial o programa Coordenadores de Pais, que visa, entre outros objetivos, reduzir os índices de evasão escolar em instituições públicas, consolidando a participação da família no cotidiano da escola.

Um dos “insights” que resultou do levantamento de conteúdo técnico permite atestar que, de maneira geral, o envolvimento dos pais aumenta a percepção positiva dos alunos com relação à escola e ao estudo e melhora o entendimento dos responsáveis sobre a importância do aprendizado escolar.

“As famílias pouco se envolvem com a formação escolar dos filhos porque não se dão conta de que é importante”, resume Bresolin. Outro motivo seria o fato de “eles não terem conhecimento sobre como participar e se envolver ou não terem conhecimentos específicos, como, por exemplo, em matemática”.

O ClassApp fornece aos pais e responsáveis orientações práticas de como se engajar com o aprendizado escolar das crianças, visando um melhor rendimento em sala de aula. Através do celular, professores e coordenadores mandam notícias e todas as famílias recebem. Mas, quando elas respondem, se direcionam somente à escola.

É uma abordagem diferente do grupo de pais no WhatsApp que pode lotar a caixa de mensagens e terminar por desestimular sua utilização, explica Niccolini. Segundo o gestor de projetos da Fundação Itaú Social, as avaliações internacionais apontam, como ideal, o envio de três mensagens por semana. “Os maiores impactos resultam de notícias bem precisas, tipo “peça para seu filho ler o outdoor tal”.

Fonte: Valor Econômico