Coimbra se torna 1ª estrangeira a aceitar ingresso pelo enem

Coimbra se torna 1ª estrangeira a aceitar ingresso pelo enem

Tradicional universidade portuguesa quer atrair mais brasileiros

Juliana Prado
[email protected]

Pela primeira vez, uma universidade estrangeira aceitará o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) como critério de admissão. A portuguesa Coimbra dispensou candidatos brasileiros das avaliações oficiais lusas. Com isso, a partir de agora, os alunos que quiserem cursar a graduação na mais antiga instituição de ensino superior dos países de língua portuguesa podem usar sua nota no teste anual.
A universidade criou um site especialmente dirigido a estudante e pesquisadores brasileiros, onde se encontram informações úteis, como os cursos oferecidos, as linhas de pesquisa realizadas e as informações práticas para a preparação. O objetivo é atrair ainda mais estudantes nacionais, hoje cerca de dois mil, ou metade dos não portugueses.
A decisão resulta de uma nova lei portuguesa, aprovada em 10 de março, que permite às instituições de ensino superior do país criar métodos de ingresso próprios para estudantes internacionais. Em Coimbra, a mensalidade para estrangeiros custa ¬ 700 (cerca de R$ 2.100).
Até este ano não era possível que alunos não portugueses entrassem no primeiro ano das graduações. Eles tinham de fazer o ensino médio português e concorrer nas provas de acesso realizadas no país. Com a nova lei, que busca a internacionalização do acesso, surge a chance de termos novos canais. A condição imposta é que possamos garantir que os alunos tenham preparação equivalente à realidade local – explica o vice-reitor de Coimbra, Joaquim Ramos de Carvalho.
Segundo o professor, o cenário para o ingresso dos brasileiros é favorável, uma vez que o Enem mostra proximidades com os critérios de avaliação lusos. A nota mínima para que um estudante brasileiro seja considerado é de 600 pontos. O vice-reitor esclarece que, em caso de haver mais procura do que vagas disponíveis, as notas mais altas terão prioridade.
O número de vagas para brasileiros ainda não pode ser mensurado. Tudo vai depender da procura e da disponibilidade de cada curso. Carvalho esclarece que os cursos com mais vagas geralmente são os de Engenharia Civil, Odontologia e Direito

Recebemos gerações de estudantes brasileiros, que aqui sempre encontraram um ambiente acolhedor, impregnado de história e modernidade.

A Universidade de Coimbra tem atualmente em seus quadros 23 mil alunos, sendo que 20% são não portugueses. Classificada como Patrimônio Mundial pela Unesco em 2013, oferece qualificação em quase todas as áreas do conhecimento, além de diversas linhas de pesquisa, das quais muitas premiadas.
Contudo, a despeito de sua história e de seu prestígio, a instituição ficou apenas em 358º lugar no último ranking feito pela consultoria QS, especializada em avaliar universidades mundo afora. A colocação deixa Coimbra atrás de instituições brasileiras como USP, Unicamp e UFRJ. O ranking leva em conta o quadro de professores, as instalações de ensino, a publicação de pesquisas e a internacionalização.
O vice-reitor minimiza a posição e diz que todo ranking é questionável. Segundo Carvalho, os critérios são relativos e, geralmente, levam em conta o porte das universidades avaliadas. Ele argumenta que, em cursos como Engenharia Civil, Meio Ambiente e Direito, Coimbra está entre as 200 melhores.
Sobre possíveis dificuldades de integração de um maior número de estrangeiros ao quadro de alunos, Joaquim Ramos Carvalho sustenta que a instituição está preparada e não crê em possíveis manifestações xenófobas:
Acabou de acontecer aqui um ótimo evento promovido pelos estudantes brasileiros. Eles se sentem muito bem na universidade. Mas, claro, estamos sempre atentos a isso ( Xenofobia ). O primeiro estudante brasileiro chegou aqui em 1576. Hoje, dá nome a um programa da universidade, o Manoel Cabral. Coimbra não seria o que é sem a contribuição dos brasileiros.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/162979-governo-de-sp-vai-convocar-30-mil-novos-professores.shtml”>http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/162979-governo-de-sp-vai-convocar-30-mil-novos-professores.shtml”>http://www1.folha.uol.com.br/fsp/cotidiano/162979-governo-de-sp-vai-convocar-30-mil-novos-professores.shtml