Sob diferentes pontos de vista, 8ª Semana da Educação discutiu alternativas diversas para desafios educacionais

Sob diferentes pontos de vista, 8ª Semana da Educação discutiu alternativas diversas para desafios educacionais

Por Ingrid Vogl

Com a participação de mais de 2.200 pessoas em 22 eventos gratuitos – sendo um deles composto por 11 eventos integrantes de um inédito festival de soluções e inovações em educação – e com a participação de 33 parceiros e mais 32 escolas, a 8ª Semana da Educação de Campinas foi concluída na última quarta-feira, dia 4 de outubro. Após sete dias de muitas reflexões, debates e compartilhamento de soluções possíveis e inovações criativas para desafios da educação, o que se espera é que esta mobilização resulte em ações que contribuam para uma educação com mais qualidade.

Ao longo de seus oito anos de existência, a Semana da Educação de Campinas, promovida pelo Compromisso Campinas pela Educação (CCE) – programa próprio do Departamento de Educação da Fundação FEAC, já se consolidou como um espaço essencial de discussões sobre temas atuais da área educacional.

Em busca de aprimoramento, os números da Semana mostram que cada vez mais, a sociedade se engaja com a causa e está atenta ao tema educação. Em 2017, houve um aumento de 70% no número de participantes das atividades propostas na programação em relação à 2016. Outro aumento significativo foi em relação ao número de parceiros. Este ano foram 33, enquanto no ano passado, 26 instituições contribuíram com a realização da Semana da Educação (foram 15 parceiros, 2 patrocinadores e 9 apoiadores).

Segundo Paulo Tilkian, presidente da Diretoria Executiva da Fundação FEAC, a 8ª Semana da Educação de Campinas, que teve como tema “Possíveis caminhos, soluções possíveis”, foi pensada com o objetivo de reconhecer que existem diversas possibilidades para se alcançar resultados desejáveis. “A Semana buscou um formato que acolhesse diversas ideias e perspectivas e soluções viáveis que possam ser colocadas em prática. Também foram planejadas atividades para toda a sociedade: crianças, pais, adolescentes, jovens, educadores e profissionais da educação. E isso só foi possível com a colaboração dos nossos parceiros”, afirmou.

Parcerias

Paulo Tilkian tem razão. As parcerias firmadas para a realização da 8ª Semana da Educação de Campinas – algumas que já acontecem desde a primeira edição e outras mais recentes – foram essenciais para garantir o sucesso e a qualidade das atividades propostas.

Para Isabela Pascoal Becker, diretora executiva da Fundação Educar DPaschoal, a mobilização promovida pela Semana da Educação é essencial porque o tema é a base de uma sociedade mais justa e igualitária. Ela também chamou a atenção para a conexão que as atividades conseguem estabelecer entre os vários atores da sociedade, como as instituições, educadores, espaços públicos, entre outros.

“Esta edição especialmente foi muito interessante por não ter sido polarizada e ter unido pessoas de diferentes segmentos da sociedade. O tema educação deve ser usado para unir e tentar transformar o atual cenário para melhor. Campinas tem um grande potencial para agregar discussões educacionais, já que tem posição estratégica no interior de São Paulo”, avaliou Isabela.

Para o gerente geral do Iguatemi Campinas e Diretor de Operações da Iguatemi Empresa de Shopping Centers, Gunther Schrappe, a educação é uma das principais ferramentas para a evolução e transformação de um país. “Por isso torna-se fundamental a união de forças e o debate cada vez mais intenso sobre os caminhos e soluções para a educação brasileira. Como empresa cidadã, o Iguatemi Campinas tem muito orgulho em poder auxiliar neste processo”, ressaltou.

Diferenciais

Outro aspecto que enriquece os debates e reflexões promovidos pela Semana da Educação é a pluralidade de ideias trazidas para as atividades. Para Telma Vinha, pedagoga e especialista integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Educação Moral (Gepem), a educação deve ser encarada como uma causa e um compromisso de todos.

“As parcerias, mesmo que tragam ideias divergentes, são extremamente válidas no sentido de um compromisso coletivo com essa causa. Elas também são ricas para que possamos discutir os problemas e entender outras formas de pensar e outros caminhos possíveis. Ideias diferentes são ferramentas valiosas para enriquecermos nosso repertório”, analisou.

Outro diferencial da Semana da Educação em sua 8ª edição foi a agenda promovida no final de semana. O sábado, 30 de setembro, e o domingo, 1º de outubro, também tiveram atividades gratuitas e abertas ao público.

No sábado a Unicamp sediou o 1º Festival Soluções e Inovações em Educação. Com diversos workshops, oficinas e palestras, o Festival reuniu 11 eventos concomitantes que aconteceram no Ciclo Básico II da universidade – parceira da Semana da Educação.

Andrea Righetto, professora coordenadora da Diretoria de Ensino Campinas Oeste, frisou ainda o envolvimento de diferentes segmentos da sociedade nos assuntos trazidos pela Semana da Educação. “Este ano um grande diferencial foi que as reflexões extrapolaram a educação para fora dos muros da escola. Não se falou somente da educação escolar, mas inclusive se chegou até as famílias com alguns dos temas que foram discutidos e com diversos lugares públicos da cidade sendo ocupados. O fato de colocar a sociedade nisso foi muito pertinente, já que a educação é uma responsabilidade de todos”, disse.

E de fato as famílias tiveram seu espaço garantido e oportunizado. O domingo, 1º de outubro, foi marcado por música. Subiu ao palco da Concha Acústica do Parque Portugal o grupo Tiquequê que reuniu cerca de 800 pessoas que conferiram um espetáculo composto por mistura de linguagens integradas com criatividade, música, teatro, narração de histórias, dança e brincadeiras. No repertório, canções inusitadas com rimas combinadas com assuntos conhecidos das crianças e muita percussão, inclusive corporal. Na sequência, uma tenda literária era mais um ponto de parada cultural familiar. Livros infantis disponíveis para as crianças e seus acompanhantes, em um espaço convidativo montado especialmente para a leitura, fizeram a alegria dos presentes. O acervo que proporcionou momentos lúdicos e de fantasia para todos faz parte do projeto Leia Comigo, da Fundação Educar DPaschoal, que contribui com a educação editando, publicando e distribuindo livros infanto-juvenis com conteúdo que promove valores e tem como premissa incentivar a leitura e o prazer pelo conhecimento.

Cumprindo seu papel de compartilhar conhecimentos sobre assuntos atuais relacionados à educação, a Semana trouxe oficinas e mesas-redondas que foram amplamente exploradas pelos participantes. Para a estudante de pedagogia, Laís de Lima, a Semana da Educação de Campinas é um espaço que deve ser aproveitado por todas as pessoas preocupadas com a educação. “É um momento de reflexão sobre as mudanças que são necessárias e também de aprendizado. Participei de várias oficinas e isso me acrescenta conhecimento. São oportunidades que nos enriquecem”, relatou.

Projeções

Para Cláudia Chebabi, gerente do Departamento de Educação da Fundação FEAC e responsável pela equipe que promoveu a Semana da Educação, os resultados e impactos dos eventos promovidos durante toda a programação foram positivos.

De acordo com a gerente, a expectativa de uma agenda de trabalho que oportunizasse o diálogo transetorial, onde as múltiplas perspectivas fossem acolhidas de modo que discursos polarizados fossem superados, foi atingida. “Neste sentido, fico entusiasmada com o resultado da Semana, onde estavam presentes os diversos atores, de diferentes segmentos e todos comprometidos com um único objetivo: a educação de qualidade para todos e com todos”, afirmou.

Com a conclusão da 8ª Semana da Educação de Campinas, Cláudia avalia que é necessário investir cada vez mais em espaços de diálogo, onde a disseminação de conhecimento com foco em soluções possíveis e diversos caminhos estejam em pauta. “Este é um espaço de valorização de iniciativas bem-sucedidas em nossas escolas, nas academias e nas diversas instituições que não podem ficar restritas em seus espaços. Elas devem ser entendidas como um legado propulsor e que podem inspirar outras iniciativas de modo a fortalecer o sistema e seus atores”, analisou.

Como um espaço de diálogo consolidado, a 9ª Semana da Educação de Campinas, que será planejada para 2018, terá como desafio a ampliação não apenas do debate, mas também do acesso, adesão e impacto das atividades que compõe a agenda de atividades.

Foram patrocinadores da edição 2017 da Semana da Educação a Fundação FEAC, o Iguatemi Campinas e a Fundação Educar DPaschoal.

 

Todas as apresentações feitas durante os eventos da 8ª Semana da Educação de Campinas podem ser conferidas aqui (http://semanadaeducacao.org.br/publicacoes/ )