Semana da Educação apresenta novidades e reflexões da área educacional a 95% de seus participantes

Semana da Educação apresenta novidades e reflexões da área educacional a 95% de seus participantes

Ingrid Vogl

Aprendizagem, reflexão e prática de ações e ideias inovadoras e soluções possíveis para desafios da educação. Estes foram os principais resultados apontados pela Pesquisa de Satisfação da 8ª Semana da Educação de Campinas. Segundo os dados, 95% das cerca de 2.200 pessoas que participaram dos mais de 30 eventos gratuitos que ocorreram entre setembro e outubro de 2017, responderam que aprenderam algo novo e que as palestras possibilitaram reflexões interessantes sobre a educação.

Segundo Cláudia Chebabi, gerente do Departamento de Educação da Fundação FEAC, o resultado da Semana demonstra que as pessoas estão disponíveis e interessadas em aprender. “Se por um lado temos desafios a serem superados para o alcance de uma educação pública de qualidade para todos, por outro lado, temos profissionais da área da educação, alunos e comunidade em geral que estão em busca de conhecimentos que podem mudar essa realidade”, afirmou.

Outros 81% dos participantes têm a intenção de colocar em prática ideias e soluções propostas nos eventos. Além disso, 43% deles dizem ter novas ideias de ações ou projetos que tem como objetivo melhorar a qualidade da educação.

O perfil do público foi bem variado e contemplou as mais diversas profissões, o que demonstra que a Semana cumpriu seu papel de levar diferentes ações a uma grande diversidade de pessoas. Mas a maioria, 53,41%, foi de professores (31,6%) e estudantes (21,81%).

Para Cláudia, os professores se destacaram na semana como protagonistas de seus trabalhos. Não foram apenas ouvintes e receptores de informações, mas ocuparam lugar de destaque, como na Mostra “Nossa Escola”, espaço de compartilhamento de saberes e de atividades pedagógicas intencionais na aprendizagem dos alunos. “Os profissionais de educação também ocuparam lugar de destaque quando pensamos nas temáticas que seriam abordadas, já que foram eles que sugeriram os temas a serem tratados na Semana da Educação durante as pesquisas de avaliação dos Encontros Mensais, que ocorreram ao longo deste ano”, explicou.

A faixa etária dos participantes também foi ampla, abrangendo desde crianças até pessoas na faixa dos 70 anos. Mas a maioria (68%) estava concentrada na faixa dos 20 aos 50 anos.

A diversidade do público alcançado se deve aos diferentes temas e atividades apresentadas durante os sete dias de evento, segundo Cláudia. “ Foram palestras, debates, workshops, oficinas e atividades culturais que oportunizaram, além de muita reflexão, a disseminação do conhecimento de ferramentas, tecnologias, metodologias, entre outras. Buscamos parceiros estratégicos que foram essenciais para o alcance destes públicos e que qualificaram a agenda da Semana em conteúdo e oportunidade de vivências e esse esforço resultou no alcance de público de diferente faixa etária”, avaliou.

Projetos

Também fez parte da pesquisa um levantamento sobre ações e projetos que os participantes poderiam propor com intuito de melhorar a qualidade da educação. Mais de 70 projetos que permeiam todas as etapas da educação básica (educação infantil, ensino fundamental e médio), além de temas como professores e escolas foram propostos.
A intenção da equipe do Departamento de Educação da Fundação FEAC, responsável pelo planejamento da Semana, é fazer um posterior levantamento para mapear quais projetos e ações foram de fato desenvolvidos pelos seus autores.

Além disso, a pesquisa também colheu comentários e sugestões que serão analisados com possibilidade de serem adotados na 9ª Semana da Educação de Campinas, que tem previsão de ocorrer na segunda quinzena de agosto de 2018.

Semana da Educação

A 8ª Semana da Educação de Campinas ocorreu de 28 de setembro a 4 de outubro em diversos locais da cidade, para os mais variados públicos. A iniciativa promovida pelo Compromisso Campinas pela Educação (CCE) – programa próprio do Departamento de Educação da Fundação FEAC, já se consolidou como um espaço essencial de discussões sobre temas atuais da área educacional. Os eventos tiveram a participação de 33 parceiros e mais de 32 escolas do município.

Com o tema “Possíveis caminhos, soluções possíveis”, a 8ª edição da Semana da Educação teve como objetivo promover uma mobilização por meio de reflexões, debates e compartilhamento de soluções possíveis e inovações criativas para desafios da educação, que contribuam para uma educação com mais qualidade.

Em busca de aprimoramento, os números da Semana mostram que cada vez mais, a sociedade se engaja com a causa e está atenta ao tema educação. Em 2017, houve um aumento de 70% no número de participantes das atividades propostas na programação em relação à 2016. Outro aumento significativo foi em relação ao número de parceiros. Este ano foram 33, enquanto no ano passado, 26 instituições contribuíram com a realização da Semana da Educação.

Projeções

Cumprindo seu papel de compartilhar conhecimentos sobre assuntos atuais relacionados à educação, a Semana trouxe oficinas e mesas-redondas que foram amplamente exploradas pelos participantes. Para Cláudia Chebabi, os resultados e impactos dos eventos promovidos durante toda a programação foram positivos.

De acordo com a gerente, a expectativa de uma agenda de trabalho que oportunizasse o diálogo transetorial, onde as múltiplas perspectivas fossem acolhidas de modo que discursos polarizados fossem superados, foi atingida. “Neste sentido, fico entusiasmada com o resultado da Semana, onde estavam presentes os diversos atores, de diferentes segmentos e todos comprometidos com um único objetivo: a educação de qualidade para todos e com todos”, afirmou.

Com a conclusão da 8ª Semana da Educação de Campinas, Cláudia avalia que é necessário investir cada vez mais em espaços de diálogo, onde a disseminação de conhecimento com foco em soluções possíveis e diversos caminhos estejam em pauta. “Este é um espaço de valorização de iniciativas bem-sucedidas em nossas escolas, nas academias e nas diversas instituições que não podem ficar restritas em seus espaços. Elas devem ser entendidas como um legado propulsor e que podem inspirar outras iniciativas de modo a fortalecer o sistema e seus atores”, analisou.

Como um espaço de diálogo consolidado, a 9ª Semana da Educação de Campinas, terá como desafio a ampliação não apenas do debate, mas também do acesso, adesão e impacto das atividades que compõe a agenda de atividades.