Projeto Xô Dengue afasta mosquito de escola

Projeto Xô Dengue afasta mosquito de escola

(Por Claudia Corbett)

Se depender destes garotos e garotas, o aedes egypti não vai mais aparecer no território.  São 14 alunos que fazem parte do grêmio da Escola Estadual Enéas Cézar Ferreira, que desde 2016 realizam o projeto #Xô Dengue.

A iniciativa teve início quando, no decorrer de um estudo sobre o uso racional da água, descobriram o mosquito causador de doenças como dengue, zika e chikungunya. Preocupados, levaram o assunto para a direção da escola.

“Para que houvesse uma reflexão sobre a temática, alunos e equipe gestora montaram um plano de ação que despertasse nos estudantes e na comunidade a importância de prevenir e diminuir os casos na região onde a escola está localizada”, constatou o vice-diretor e orientador do grêmio, Marcos Daminelli.

Nesta iniciativa foram envolvidos outros equipamentos públicos locais, como o Posto de Saúde e a Vigilância Sanitária. O primeiro passo foi um treinamento para identificar e eliminar os possíveis focos do mosquito na escola. As crianças também assistiram palestras e um teatro relacionados ao tema.

Preparados, todos os alunos do 1º aos 5º anos, junto com suas famílias, deram início a ação no bairro no qual a escola se encontra instalada. O resultado foi avaliado pelos professores como um sucesso. Os alunos do grêmio conseguiram conscientizar, para além de seus colegas, a comunidade.

Ano novo, nova eleição para o grêmio

O projeto foi abraçado pelos novos componentes do grêmio eleitos em 2017. Eles já chegaram se organizando para dar continuidade as ações. Se dividiram em dois grupos que se alternam nas inspeções semanais na escola. Os alunos são rigorosos no olhar, buscam os focos por todos os cantos: jardim, pátio, estacionamento, playground, quadras.

Tudo que encontram anotam em uma planilha. Dividem por tipos de lixos, apontam os locais, se há foco ou larvas, e o nome do aluno que fez a identificação. Já encontraram latas de tinta, tênis, botas, pacotes de salgadinhos, papeis de bala, tampinhas de garrafa, pets de refrigerante, entre outros lixos. Tudo moradia para o mosquito causador de tanto transtorno e preocupação

Segundo o presidente do grêmio, Kaique Gabriel Jesus dos Santos, 10 anos, desde que a nova direção do grêmio assumiu o projeto, a quantidade de lixo vem diminuindo gradativamente e, consequentemente, os focos e larvas também. “Nas primeiras inspeções chegamos a encher dois sacos de 100 litros e encontramos muitas larvas. Hoje, este lixo está reduzido em um terço”, constatou.

Os pequenos também ficam de olho nas poças d’água que se formam com a chuva. “Mesmo com a diminuição do lixo, percebemos que quando chove encontramos mais focos”, comentou Isabelly Santos Vieira, 10 anos, vice-presidente do grêmio.

Novas ações

Animados com o resultado, segundo eles quase sempre positivos, os componentes do grêmio pretendem ampliar o escopo das ações incluindo visitas às salas de aula para exposição do problema, com vistas a conquistar novas adesões de alunos e apoio dos professores.

E como nos finais de semana tem Escola da Família, eles planejam fazer cartazes apontando as consequências de lixos jogados fora do destino correto. “Vamos escrever também que encontramos focos de dengue na escola para que as pessoas entendam que se houver mosquito aqui todos estão expostos às doenças”, destacou a oradora da turma, Damares Evelyn Santos Silva, 11 anos.

Finalista do Prêmio Atitude Educação

Para a participação da escola na premiação Atitude Educação, promovida pela Fundação FEAC no âmbito do Compromisso Campinas pela Educação (CCE), houve uma mobilização de todos os envolvidos para a gravação do vídeo concorrente. Os alunos aproveitaram a oportunidade para colocar a segunda etapa do plano de ação em prática.  Eles visitaram as casas localizadas no entorno da escola, conscientizando os moradores sobre a importância dos procedimentos para manter distante o mosquito transmissor da dengue e outras doenças. “A gravação do vídeo foi muito gratificante porque as pessoas gostaram de ver a atitude das crianças que levaram a sério esta atividade e com isso conseguiram a adesão de todos os moradores. Este trabalho ficou nota 10”, comemorou o vice-diretor e orientador do grêmio.

Esta foi a segunda vez que a Escola Estadual Enéas Cézar Ferreira participou do Prêmio Atitude Educação. Em 2015, segunda edição da iniciativa, conquistou com o Projeto Xadrez o 2º lugar na disputa.

Confira o projeto #Xô Dengue AQUI