Projeto de alunos prioriza meio ambiente e transforma área da escola Djalma Octaviano

Projeto de alunos prioriza meio ambiente e transforma área da escola Djalma Octaviano

Laura Gonçalves Sucena

Aliar a sustentabilidade ao meio ambiente para transformar a escola num local melhor é a ideia central do projeto ‘Jardins Verticais’. Realizada por alunos da Escola Estadual Professor Djalma Octaviano, localizada no Jardim Paulicéia, em Campinas/SP, a iniciativa mobilizou os estudantes e hoje é a menina dos olhos da equipe gestora da unidade de ensino.

Nascido e criado dentro da disciplina eletiva de Educação Ambiental e Sustentabilidade, o projeto é constituído de um jardim e pergolado. A estrutura será responsável pela climatização das salas, uma vez que as plantas barram a entrada do sol, e ainda servirá como um espaço para aulas ao ar livre.

Para Elen Viviane Rodrigues, professora da matéria eletiva, a primeira ideia era fazer uma horta vertical, mas após alguns estudos os alunos concluíram que o jardim seria mais eficiente. “Passamos por diversos momentos até chegar ao projeto final que garante um ambiente funcional e tem como princípio preservar as ideias de sustentabilidade”, explicou.

A escola já é uma defensora do meio ambiente e conta com uma composteira e jardim de permacultura – espaço projetado para o crescimento e interação naturais entre as espécies, para que nenhum fertilizante ou pesticida precise ser usado. “Damos muito valor ao meio ambiente, então o projeto do ‘Jardins Verticais’ veio agregar ainda mais aos nossos ideais”, destacou a professora.

Os alunos foram os que mais se empolgaram com o projeto. “Esse espaço verde é muito esperado e trará diversos benefícios para todos. Além da climatização, com as plantas vamos conseguir diminuir os ruídos e ainda melhorar o visual”, falou a aluna Renata Macanhã, do 3º ano do ensino médio.

Giovana Nogueira, também do 3º ano do ensino médio, diz que outra função do jardim é cultivar um canteiro com ervilhas, baseado nos estudos do geneticista Gregor Mendel. “Isso irá auxiliar as aulas de biologia e poder contar com o material de estudo saído do nosso próprio jardim será ainda melhor”, admitiu.

Para colocar em prática o projeto, a escola contratou uma empresa especializada que irá montar a estrutura do pergolado. “Tudo está sendo feito em conjunto e os alunos e professores da disciplina eletiva de meio ambiente também irão colaborar com a construção do jardim vertical, que deve ficar pronto antes do final deste ano”, explicou o diretor Juvenil Alves do Nascimento.

Prêmio Atitude Educação

Com o projeto em mãos, o professor de Filosofia da escola, Rodrigo Vignoli, achou uma boa ideia inscrevê-lo no Prêmio Atitude Educação, iniciativa promovida pela Fundação FEAC no âmbito do Compromisso Campinas pela Educação (CCE).

“Recebemos a comunicação sobre a premiação da diretoria de ensino e ficamos muito interessados. Como o projeto já estava em andamento, resolvemos participar e foi um sucesso porque com a premiação foi possível contribuir para a melhoria do espaço da escola”, afirmou Rodrigo.

Na condição de vencedora na categoria Rede Estadual – Diretoria de Ensino Leste, a escola recebeu premiação no valor de R$10mil, quando o Prêmio teve como tema “Alunos Protagonistas. Que diferença vocês fazem?” e reconheceu coletivos de alunos que desenvolvem projetos que contribuem para a solução de situações/problemas reais de sua escola ou comunidade, ou ainda, que colaborem na aprendizagem dos alunos.

Para o professor coordenador geral da escola, Juliano Claudio Moço, participar de projetos como o do ‘Jardins Verticais’ permite aos alunos vivenciarem na prática o que aprendem em sala de aula. “É o momento de concretização e isso estimula o envolvimento dos estudantes. O projeto dá a oportunidade dessa construção e amplia o currículo”, ponderou.

O projeto foi tão bem estruturado que ganhou a adesão de toda comunidade escolar e graças a isso foi um dos vencedores da edição 2016 da premiação. “Participar do prêmio foi muito emocionante e a escola toda se mobilizou para votar. O apoio veio de todos os lados, pais, professores e amigos e agora estamos nos unindo novamente para a construção do espaço”, falou a estudante Renata.

Com o sucesso conquistado, os alunos se empolgaram e, neste 2017, criaram um Clube Juvenil para o meio ambiente. “A união das turmas foi tão grande que os próprios alunos decidiram se envolver mais com o tema. Isso só mostra que a escola está realmente conectada com a causa”, complementou Rodrigo.

Este ano os alunos das escolas vencedoras do Prêmio Atitude Educação 2016 também participam de oficinas promovidas pela Fundação FEAC. Ao todo, serão realizados 11 encontros com os alunos envolvidos nos projetos vencedores, onde serão trabalhadas as potencialidades das crianças e adolescentes, como autonomia, discernimento e responsabilidade pessoal. Alguns encontros ocorrerão individualmente com cada escola vencedora, outros serão coletivos e ainda contarão com a participação de alunos protagonistas do nosso município. Confira mais informações aqui http://compromissocampinas.org.br/oficinas-do-atitude-educacao-despertam-potencialidades-e-incentivam-alunos-protagonistas/

Protagonismo

Formar cidadãos autônomos, solidários e competentes é o objetivo da escola. E, visando o protagonismo, a escola investe em dar voz aos alunos e tem um modelo centrado no projeto de vida dos estudantes. “Dar um significado ao papel da escola na formação e nas escolhas futuras dos jovens é o que queremos. Para isso, a instituição segue as diretrizes do ensino integral que são fundamentadas em valores, princípios educativos e premissas que orientam as ações da escola”, explicou o diretor.

“Fazemos um acolhimento quando o aluno chega na escola e estamos sempre de portas abertas. Também somos responsáveis pelo acompanhamento dos projetos de vida dos estudantes, priorizando a privacidade de cada aluno. Para isso é preciso ter confiança, pois estes projetos dialogam com as disciplinas eletivas e com os clubes juvenis”, complementou o vice-diretor, Levi Augusto Dubois.

Além das disciplinas comuns a todos os alunos do ensino médio, também é previsto, a partir da Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), que instituições de ensino articulem seus currículos com as chamadas disciplinas diversificadas.

A complementação no currículo conta com Laboratórios, Orientação de Estudos, Preparação Acadêmica, Projeto de Vida, Mundo do Trabalho (para terceiros anos do ensino médio), Eletivas, Clube Juvenil e as Tutorias.

Para o diretor da unidade de ensino integral, a diversificação curricular, a relação aluno/professor e o programa baseado nos quatro pilares da educação – aprender a conhecer; aprender a fazer; aprender a conviver; e aprender a ser – são fatores determinantes para o protagonismo dos alunos. “Acreditamos nos nossos alunos e o sucesso em realizar um projeto e ganhar um prêmio é mais uma constatação que estamos no caminho certo”, finalizou Juvenil.

Mais informações: https://www.facebook.com/djalmaintegral/?rf=177401785620992