Oficinas do Atitude Educação promovem a reflexão sobre as relações interpessoais da comunidade escolar

Oficinas do Atitude Educação promovem a reflexão sobre as relações interpessoais da comunidade escolar

Por Ingrid Vogl

Refletir sobre experiências ligadas à convivência e relações interpessoais. Este é o principal objetivo da segunda etapa das oficinas que estão sendo promovidas pela equipe da Fundação FEAC com as escolas vencedoras do Prêmio Atitude Educação 2016 desde agosto último. Os encontros reúnem os alunos envolvidos nos projetos premiados com o objetivo de conscientizá-los e incentivá-los a serem protagonistas em suas escolas e vidas, com o fortalecimento de potencialidades como autonomia, discernimento e responsabilidade social.

Ao todo, serão realizados 11 encontros com estudantes da EE Prof. Djalma Octaviano, EE Prof.ª Laís Bertoni e Emef Oziel Alves Pereira, que foram as vencedoras da premiação que teve como tema “Alunos Protagonistas. Que diferença vocês fazem?”

Os encontros são fundamentados nos quatro pilares da educação preconizados pela Unesco: aprender a ser; aprender a conviver; aprender a aprender; aprender a fazer. Na última oficina que fechará o ciclo de encontros, será promovido o compartilhamento das aprendizagens com uma troca de saberes. A ideia é que ao término das oficinas, que deve acontecer no final de novembro, os alunos possam redescobrir novas formas de um agir protagonista.

Participação

A primeira fase das oficinas aconteceu em agosto e trabalhou a competência pessoal – o aprender a ser – com os alunos das três escolas. Nesta segunda fase desenvolvida em setembro, o principal foco é a competência interrelacional, o aprender a conviver. Com isso, as dinâmicas realizadas com os alunos têm como objetivo despertar a empatia, solidariedade e cooperação entre os estudantes.

“Precisamos avançar em relação à percepção e respeito aos anseios da coletividade. Por esse motivo neste 2º encontro com os jovens do Atitude Educação, procuramos propor atividades com enfoque na valorização da coletividade que proporcione ao grupo aprender a ouvir o outro, a propor ao invés de impor e administrar conflitos”, explicou Raika Aquino, que junto a Cláudio Raizaro, ambos colaboradores da Fundação FEAC, é responsável pelas oficinas.

Para Cláudio, os alunos estão recebendo e interagindo intensamente com reflexões durante as oficinas, o que demonstra resultados positivos no trabalho desenvolvido nas escolas. “O retorno está sendo muito positivo, com alunos problematizando as questões propostas e muita participação de todos os envolvidos. Neste momento, o foco está em evidenciar aos participantes que o protagonismo extrapola o âmbito pessoal e escolar e, que, necessariamente deve avançar para os demais espaços de participação e de construção de valores, tais como a democracia, a justiça social, o desenvolvimento humano, social, cultural e ambiental. A perspectiva protagonista deve permear todas as dimensões do ser humano”, afirmou. Os próximos encontros devem promover a troca de saberes entre os alunos das escolas, no aprender a aprender e no aprender a fazer.

Projeto de vida

A oficina que abordou o aprender a conviver na EE Djalma Otaviano levou os alunos a refletirem sobre como cada um se relaciona com o outro. “As formações da FEAC nos ajudam a pensar sobre quem somos e as atitudes que estamos tomando em sala de aula, na escola, com colegas. Tudo isso me faz chegar à conclusão de que precisamos olhar com mais cuidado para o próximo e respeitar os diferentes pontos de vista para ser uma pessoa melhor a cada dia “, analisou Vitoria de Sousa Gomes, 15 anos.

Para Ester Rodrigues dos Santos e Danielli Cristine de Moraes Santos, ambas com 16 anos, as oficinas promovidas pela equipe da FEAC enfatizam ainda mais o fato da escola incentivar o protagonismo e a autonomia entre os alunos. “Essas reflexões agregam muito às aulas eletivas. Além disso, temos uma responsabilidade enorme de desenvolver o projeto com o qual fomos vencedores do Atitude Educação, que envolve a gestão de recursos financeiros”, disse Ester.

Acompanhando todas as oficinas, a professora de química, Angela Borgato, lembrou que a escola, que desenvolve o programa Escola de Tempo Integral, da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, já trabalha os quatro pilares da educação durante as aulas eletivas. “ A FEAC acaba reforçando e vindo ao encontro do que a gente já desenvolve com os alunos”, disse.

Sueli Regina Vidal, professora de inglês e mundo do trabalho, explicou que as disciplinas eletivas pretendem despertar nos alunos a questão da ética e da cidadania. “Estes encontros consolidam o que a disciplina tenta trazer para os alunos. Através das dinâmicas, notamos que eles conseguiram expor o que pensam sobre as relações interpessoais de maneira clara e direta. A participação ativa demonstra que o encontro conseguiu comunicar e atingi-los com uma reflexão que ajuda na formação de cidadãos em sua integralidade”, avaliou.

Atitude Educação

Criado em 2014, o Prêmio Atitude Educação visa valorizar as ações que tem como objetivo qualificar ainda mais a educação pública em Campinas/SP. A edição 2016 da premiação teve como objetivo reconhecer coletivos de alunos que desenvolvem ou irão desenvolver projetos que contribuam para a solução de situações/problemas reais de sua escola ou comunidade, ou ainda, que colaborem na aprendizagem dos alunos visando a melhoria da qualidade da educação pública na cidade.

A iniciativa da Fundação FEAC, por meio do Compromisso Campinas pela Educação (CCE), foi realizada em parceria com as Diretorias Regionais de Ensino Leste e Oeste de Campinas, além da Secretaria Municipal de Educação. O concurso foi voltado para estudantes do ensino fundamental, médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA) das redes públicas municipal e estadual de Campinas.

Cada unidade escolar, representante do projeto vencedor por categoria, recebeu R$ 10 mil a serem investidos no desenvolvimento da iniciativa.

Confira os projetos finalistas e vencedores do Prêmio em 2016:  http://atitudeeducacao.feac.org.br/