Instituições realizam autoavaliação com ampliação de indicadores da qualidade na educação infantil

Instituições realizam autoavaliação com ampliação de indicadores da qualidade na educação infantil

(Por Laura Gonçalves Sucena)

Oferecer ambientes educativos de qualidade e que favoreçam o pleno desenvolvimento das crianças. Pensando nisso, representantes das instituições de educação infantil AMIC – unidade Campo Belo, institutos Dona Carminha e Jacarandá e creches Bento Quirino e Santa Rita estão realizando a aplicação dos Indicadores da Qualidade na Educação Infantil (IQEI).

A apresentação dos itens do IQEI irá oferecer para a cinco instituições participantes da terceira e última edição (2018/2019) do programa Primeira Infância em Foco (PIF), do Departamento de Educação da Fundação FEAC, subsídios técnicos e teóricos para a estruturação dos projetos a serem avaliados.

Para a aplicação de indicadores de qualidade da educação infantil alguns percursos devem ser seguidos. Para isso, a aplicação do IQEI contou com a participação das assessoras técnicas da FEAC, Adriana Silva e Denilze Ricciardelli.

A participação das assessoras técnicas, no momento da aplicação do IQEI, é fundamental uma vez que o resultado será a base do projeto, que nesta edição será um trabalho de cocriação, ou seja, uma construção coletiva. “É importante acompanhar as discussões acerca dos indicadores apresentados, porque nos possibilita ter uma visão mais clara sobre o trabalho atual desenvolvido pelas instituições”, falou Adriana Silva.

Com a apresentação final dos dados, as assessoras junto com as equipes técnicas irão construir um projeto que seja condizente com o objetivo do PIF, ou seja, que tenha como fim o desenvolvimento da criança de zero a três anos de idade, considerando a participação efetiva da família.

“Será um momento de parceria enriquecedor, em que teremos a oportunidade de olhar para as barreiras que impedem o pleno desenvolvimento infantil, para elaborarmos projetos cujas ações tenham como foco as mudanças que queremos promover, contando com a contribuição da família. A proposta é a criação de projetos com méritos que gerem impactos”, pontuou Adriana.

Aplicação e autoavaliação

Os indicadores constituem sinais que revelam aspectos de determinada realidade e que permitem qualificá-la. Para isso, as instituições de educação infantil reuniram suas equipes e ainda convidaram as famílias das crianças para participarem do processo.

A avaliação realizada com o grupo analisa sete dimensões: planejamento institucional; multiplicidade de linguagens e experiências; interações; promoção da saúde; espaços, materiais e mobiliários; formação e condições de trabalho dos professores e demais profissionais; relação de troca e cooperação com as famílias e participação na rede de proteção social.

Com o resultado é possível analisar a qualidade de uma instituição de Educação Infantil e, a partir daí, chegar à realidade do local e propor soluções de melhorias.

Para Denilze Ricciardelli, também assessora técnica do PIF, na discussão em plenária para obtenção do resultado final é oportunizado às equipes técnicas, educadores e famílias reflexões sobre práticas educativas, que possam qualificar o atendimento, respeitando o direito das crianças.

Na avaliação, o grupo discute temas sobre a proposta pedagógica da escola, planejamento, práticas educativas, construção da autonomia das crianças, identidade e valorização, respeito e dignidade, interação, segurança, alimentação, respeito e acolhimento, mobiliários, espaços, formação dos profissionais e muito mais.

Para a orientadora pedagógica da AMIC Campo Belo, Deise Canavarro, o IQEI traz a realidade vista sobre diversos olhares em busca de uma infância assistida. “A avaliação contempla todas as dimensões da creche e isso é muito bom para que possamos enxergar onde as mudanças são necessárias. Nós temos uma proposta pedagógica interessante e bem avaliada, mas nosso espaço não é bom. E uma coisa depende da outra porque a criança precisa do brincar livre, num local agradável”, comentou.

“Toda caminhada pressupõe uma avaliação para correção de desacertos e é isso que estamos fazendo por meio do IQEI. Convidamos as famílias e os profissionais da instituição para essa autoavaliação e vamos buscar acertar pontos carentes de algum ajuste. Se autoavaliar nem sempre é fácil, mas é preciso para oferecer um ensino de qualidade às crianças”, pontuou o vice-presidente da creche Santa Rita, Carlos Roberto Cecílio.

Apoio técnico

O PIF, em sua terceira edição, garantirá apoio técnico às cinco instituições de educação infantil com a oferta de assessoria na utilização das ferramentas disponibilizadas pelo programa. Também caberá acompanhar, monitorar e facilitar a execução dos projetos aprovados em edital, bem como promover encontros entre as equipes executoras dos projetos para trocas de experiências e aprimoramento dos resultados almejados.

IQEI 

O IQEI é um instrumental do MEC (Ministério da Educação), elaborado por um Grupo Técnico composto por representantes de entidades, fóruns, conselhos, professores, gestores, especialistas e pesquisadores da área. A avaliação proposta é vista como processo e concretizá-la supõe a superação do caráter meramente formal, assumindo-a como base para revisão dos resultados apresentados ou reformulação de novas propostas e ações.

Com a avaliação institucional é possível identificar os fatores que facilitam ou são obstáculos à qualidade da educação e, por meio de uma reflexão fundamentada em dados, propor um plano de ação para que a escola planeje, execute, monitore e avalie os seus resultados.

Saiba mais: http://www.feac.org.br/primeira_infancia_em_foco/

Fonte: Fundação FEAC